“​Há sete anos fiz minha matrícula na turma intensiva depois da mãe de uma amiga insistir que seria uma boa ideia. Fui sem dar muito crédito, e apesar de não ter passado em nenhuma prova depois de cinco meses estudando, uma nova porta abriu para mim naquele lugar. No ano seguinte, em 2009, me matriculei novamente e comecei logo no início do ano a estudar na turma M. Depois de meses de trabalho árduo, tanto meu quanto dos professores maravilhosos que me ajudaram, pude escolher em que lugar eu queria estudar: o meu objetivo finalmente foi alcançado.
​A realidade é que o Radical é muito mais do que um curso preparatório, o Radical é uma família. Uma grande família que te acolhe, que te ajuda, que te dá aquele puxão de orelha quando necessário e, o mais importante, te faz acreditar que você pode. Lá você não é só mais uma mensalidade, só mais um soldado de um exército que busca o maior número de aprovações… lá você é uma pessoa, um ser humano que possui qualidades, defeitos e dificuldades. Os funcionários, os monitores, os professores, os alunos, o dono do curso, todos estão prontos pra ver você como pessoa e ajudar no que for preciso.
​No Radical eu aprendi a estudar, aprendi que eu sou capaz de atingir meus objetivos, aprendi a trabalhar em grupo e aprendi a ser mais forte. Fiz amigos maravilhosos naquele lugar. Tive aulas excepcionais com professores incríveis que me marcaram por toda a minha vida. Algumas das minhas melhores recordações estão de alguma maneira ligadas ao Radical. Depois das minhas aprovações, fui estudar na tão famosa Federal de Química, hoje IFRJ, e depois de 4 anos me formei em Técnica de Farmácia com alguns dos amigos que fiz no Radical. E hoje, sete anos depois sou aluna de Engenharia de Alimentos na UFRJ. E a verdade é que sem o Radical nada disso teria acontecido e eu não estaria onde estou hoje. Por isso: obrigada, Radical!”

Deixe o seu comentário